O que é original?

A discussão sobre o que é cópia e original é antiga e, a partir da década de 90, após o estabelecimento da internet e com isso a democratização irreversível dos meios de divulgação, tudo ficou muito mais complicado.

Se antes as gravadoras detinham os meios de distribuição e as rádios de divulgação, hoje temos algo praticamente P2P, diretamente do produtor com o público. Temos também uma amplitude maior de participação desse público na produção em tempo real, o que nos leva a questionar: se o público tem participação no processo criativo quase desde o começo, como estabelecer onde acaba começa a ideia original e termina a participação dos demais? Hoje temos empresas de televisão mudando o enredo de séries de um episódio para outro, pois a recepção não foi boa.

Claro que antes das tecnologias terem deixado tudo nebuloso, o questionamento já era pertinente. Talvez uma das marcas mais copiadas do mundo seja a Lacoste. Foi o Lacoste que inventou a camisa polo, o jacaré, a cor verde, a tipografia, o cartoon a costura, o bordado? Creio que não. Uma busca rápida na wikipédia mostra que há um tópico inteiro dedicado a empresas e cartoons que usam jacarés como mascotes. 
Alguém vai bradar: ter juntado essas ideias é algo original! Original é uma palavra forte nesse caso, como ser original em cima de coisas que já existiam?

E como ser original no pop, onde tudo fica ainda mais complicado? São 7 notas, executadas pelos mesmos 4 ou 5 instrumentos, o ritmo é sempre 4×4, as extensões vocais são sempre as mesmas: tenor, barítono, baixo, soprano e contralto, e por aí vai.
Para elucidar essa questão, recomendamos o excelente documentário/site Everything is a Remix.

Tem o site também: http://everythingisaremix.info

Diga-nos o que acha deixando seu comentário ou entrando em contato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *